Pesquisa personalizada

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Como é que é?

Brasileiro é uma beleza mesmo. Tudo quanto é hospital público sem um mínimo de qualidade, gente em filas e mais filas pra ser atendido mesmo que esteja em trabalho de parto, criança assistindo aula quase no meio do rua( quando tem professor pra dar aula ), e a gente inventa de querer falar de maconha?! Putz, cara, que é isso? Mês passado a Califórnia e os Estados Unidos começaram algumas polêmicas relativas a máquinas de venda automática de maconha para uso medicinal. Querendo imitar alguns países como Canadá, Holanda e Suíça, que já liberaram a erva, outros lugares do mundo tentam mostrar-se desenvolvidos. Na Alemanha, onde apenas 79 pessoas têm permissão para usar maconha como analgésico ou relaxante, tal ação pode estar dando certo. O governo se guia pelo princípio da confiança de que os farmacêuticos apenas irão vender a Cannabis sob prescrição médica. Além disso, a droga não é liberada para fins recreativos. Quem pensa que vai para a Alemanha passear na rua e fumar uma maconhazinha de leve em frente à polícia, sem ser importunado, pode tirar o cavalinho da chuva. Agora, sejamos realistas, vamos nos comparar, por alguns instantes, a paises desenvolvidos. Brasileiro comprando maconha na farmácia? Nesse mesmo país que foi descrito no início do texto? Isso não é hora de querer se sobressair. Antes de qualquer coisa, precisam ser resolvidos problemas básicos. Nada de dar o passo maior que a perna, como somos acostumados. Estando bem estruturados, aí sim, quem sabe vamos estar preparados para uma decisão como liberar a maconha para fins medicinais. Mas isso já é outra estória...



Pauta para o Site da Capricho

Um comentário:

Flavitcho disse...

É, primeiro a gente se ajeita.

Depois pensa nisso, afinal é outra estória... =P

=]